“Especialização em Desenvolvimento da Resiliência na Gestão de Equipes”, divulgação de uma formação que recebi despretensiosamente (ou não) em uma rede social.

A palavra “gestão” saltou aos olhos! Uma ferramenta diferenciada, concluí no estudo inicial.

E com foco nas pessoas, altamente pertinente.

Inicia a leitura da abordagem teórica e é imediata a percepção da repercussão na vida pessoal.  A visão de si ao responder o Questionário QUEST, e a apresentação dos resultados na forma de padrões de comportamentos e também das modulações das crenças perante a adversidade, desvelou a abordagem Resiliente como um método poderoso para conhecer a forma de agir de uma pessoa em situação de estresse.

Enquanto me apropriava sobre as áreas da Resiliência, o gráfico do questionário QUEST_Resiliência se apresentava como o indicador de potencial resiliente do indivíduo.

Cada área da resiliência é uma luz no caminho do autoconhecimento: algumas estavam acessas; outras foram acionadas a partir de então.

Com a visão do todo, o agir estratégico perante as adversidades passa a ter mais recursos.

Do entendimento do gráfico para a aplicação das informações na vida rotineira foi uma questão de pouco tempo. Perceber os momentos em que o padrão de comportamento de acatar ou de atacar as adversidades se manifesta e se permitir agir moduladamente sob impacto da tristeza ou da raiva, como uma estratégia pontual, é aprendizagem e liberdade.

É flexibilizar as minhas “verdades” e não me culpar.

Compreender o padrão de comportamento e a condição de resiliência nas áreas Análise de Contexto, Sentido de Vida, Conquistar e Manter Pessoas e Autoconfiança foram fundamentais para uma escolha profissional. Saber quem sou me permitiu uma definição estratégica.

Permitiu aceitar a mudança, romper com o tradicional e ficar de bem com a vida. E, claro, vivenciar o autocontrole, percebendo como as emoções interagem com o organismo, num perfeito sistema de ação e efeito entre corpo e mente. Como era previsto, e pode ser modulado.

Reflexões de que não há uma verdade absoluta, para cada momento somos levados a direcionar o pensar antes de agir. Consequentemente, há atribuição de apropriada importância à adversidade e flexibilização do comportamento. No mundo em permanente mutação, saber estar resiliente é a constante que devemos buscar.

Percebi essa mudança de pensamento em mim.

As primeiras pessoas atendidas em minha atuação ficaram surpresas:

“como é bom ter um momento para refletir sobre mim, de melhorar meu autoconhecimento e ser uma pessoa melhor”;

“olhar para a temática sob a perspectiva dos marcadores das áreas da resiliência me oportunizaram alavancar estratégias antes não imaginadas”;

“sinto leveza por ter refletido sobre a temática e gratidão por ter sido guiado para a descoberta de passos possíveis para flexibilização das convicções envolvidas”.

E trouxeram a percepção de um novo patamar de sabedoria:

“usar a inteligência estratégica nas áreas da Resiliência, agora que as conheço e as percebo, no meu dia a dia”.

Percebendo a abrangência da ferramenta, reforço o desafio! Contribuir no desenvolvimento do Ser Humano consciente de si, fortalecido emocionalmente, menos preocupado com o que os outros pensam, desapegado ao que já não serve mais e aberto ao novo.

Fomentar a Resiliência como uma filosofia, e direcioná-la para a valorização do Sentido de Vida individual e na gestão de grupos.

Sabrina A. Spier

Engenharia de segurança do trabalho e Especialista em docência no ensino técnico e superior.

Atua em Assessoria em sistemas de gestão de segurança e saúde ocupacional e sustentabilidade.

Certificada e atuante como Especialista no desenvolvimento de Resiliência na Gestão de Pessoas.

SOBRARE AdministratorBackWPup Admin