Resiliência e assertividade


27/10/2016 | Publicado por SOBRARE | Sem Comentários


Assertividade é quando conseguimos nos comunicar de forma segura, firme e direta. A comunicação assertiva é clara e honesta. Esse conceito contribui para uma pessoa zerar seus débitos emocionais, tornando-se bem resolvida e com equilíbrio.

O post de hoje irá mostrar como resiliência e assertividade podem ajudar uma pessoa no enfrentamento de situações consideradas de riscos obtendo um fortalecimento emocional, mental e comportamental.

Se você gostou do tema de hoje, compartilhe com a sua rede de amigos:

O que é assertividade?

Assertividade lembra verdade/sinceridade e é uma postura do nosso comportamento que influencia na nossa comunicação.

É uma habilidade social de afirmação dos seus próprios direitos e expressão de pensamentos, sentimentos e crenças de maneira direta, clara, honesta e apropriada para o contexto, de modo a não violar o direito das outras pessoas.

Assertividade ajuda a pessoa a ficar bem resolvida!

Aprofundando um pouco mais, uma pessoa assertiva tem coerência com os seus pensamentos e intenções. Uma pessoa que não é assertiva não tem essa coerência, de saber dizer sim ou não quando necessário, dependendo da situação.

resiliência e assertividade

Por exemplo, quando uma pessoa é passiva é bem provável que vá dizer sim quando gostaria de dizer não. O que acaba gerando um conflito interno já que seu mental decidiu por algo que não foi comunicado.

A pessoa quando está na defensiva com um comportamento agressivo, provavelmente ela vai deixar de dizer muitos sim e irá optar por dizer os nãos. A pessoa assertiva sabe comunicar exatamente aquilo que está em seus pensamentos, sendo verdadeira consigo.

As vezes, dependendo do contexto, há a necessidade de não se posicionar ou pronunciar a decisão. O melhor é o silêncio! Após avaliar os custos e benefícios de tal situação, poderá perceber que o custo será muito maior caso haja um posicionamento.

Precisamos ter análise de contexto e principalmente sermos estratégicos na nossa comunicação.

Então, ser assertivo é dizer o que tem que ser dito, para a pessoa certa, na medida certa, no momento certo, pelo motivo certo, da maneira certa (não ser passivo, agressivo ou dissimulado). Assertividade é ter firmeza, afirmar-se com confiança, acreditar em suas ideias e opiniões com equilíbrio, assumir responsabilidades por si mesmo, ter respeito por si e pelos outros.

Como expressar as emoções negativas

Esse é um modelo de como expressar as emoções negativas de forma pontual e respeitosa e obedecendo todos os critérios da assertividade citados anteriormente.

1. Comece com a palavra EU

Isso significa que você está assumindo responsabilidade pelo o que você está dizendo e de como está se sentindo.

2. Expresse qual a emoção negativa sentida

Pode-se dizer, por exemplo, “eu me sinto desconfortável/humilhado(a)/mal…”. Enfim, expressar qual a emoção que está sentindo.

3. Fale o comportamento do outro que lhe causou o desconforto

Diga ao outro qual o comportamento que ele está tendo que causa o seu desconforto. Exemplo, “eu me sinto desconfortável quando você na reunião, diante dos nossos colegas, interrompe e faz correções da minha apresentação”.

4. Expresse as consequências e os impactos

Expresse o que a ação do outro acarreta e quais são os impactos sofridos. Exemplo, “quando você faz isso, me sinto incompetente e isso não é legal pra mim, que a minha imagem e credibilidade pode cair por terra”.

5. Mostre ao outro os benefícios da mudança

Mostre os benefícios caso o outro não repita tal atitude ou ação. Exemplo, “se não fizermos mais desse modo, se você me poupar desse desconforto, nossa relação poderá ser muito melhor e podemos ter um relacionamento sadio e de cooperação”.

6. Proponha novas alternativas de relacionamento

Proponha outras formas de resolver as situações que podem gerar desconforto.

7. Ouça a percepção do outro e negocie alternativas

Pergunte como o outro percebe a negociação, pode ser que apareça novas percepções e alternativas e que também são interessantes. Mas lembre-se, uma pessoa assertiva tem uma cabeça ganha-ganha. Então qualquer alternativa que for negociada para mudar o relacionamento deve beneficiar ambas as partes.

8. Comprometa-se com as mudanças e agradeça, fechando o acordo

Qualquer alternativa que seja firmada, se comprometa com o acordo e agradeça o outro pela sua compreensão, afinal ela está ajudando a resolver um problema seu causado por um comportamento dele(a).

resiliência e assertividade

Resiliência e assertividade para a superação

Uma pessoa assertiva é otimista realista porque age com base na realidade – fatos e dados – e nunca em inferências. Inferências é quando olhamos uma situação e concluímos que tal situação é uma verdade própria sem ter sido realizado nenhum teste ou algo semelhante anteriormente.

Sendo assim, o assertivo enfrenta riscos com coragem, firmeza e autoconfiança, com foco na solução.

Todo ser humano tem medo e o assertivo não está fora desse contexto, pois também sofre ameaças do ambiente. A diferença entre uma pessoa assertiva e não assertiva é que as não assertivas agem pelo medo e deixam que esse sentimento os(as) dominem e assim adotam um comportamento defensivo de forma agressiva ou passiva.

Já a pessoa assertiva avalia a situação, sente medo, encara o medo e cria recursos estratégicos para enfrentar a situação, com coragem e foco.

Para desenvolver resiliência e assertividade, uma pessoa precisa acreditar que:

  • Tem o direito de ser ouvido e ser levado a sério
  • Não é responsável pelo que o outro sente, precisa e diz
  • Pode mudar de ideia
  • Pode decidir sem pensar em agradar as pessoas
  • Pode dizer “não sei”
  • Os outros também têm os mesmos direitos

Para finalizar, ser assertivo é olhar para dentro de si e perdoar-se por não ser estratégico, para ter uma comunicação sadia com o outro, sem julgamentos e preconceitos.

Se você gostou do tema de hoje, compartilhe com a sua rede de amigos:

Esse post sobre resiliência e assertividade foi baseado na palestra da Vera Martins apresentada durante a 1º Semana Master de Resiliência. Vera Martins é pedagoga, mestre em comunicação e mercado, especialista em medicina comportamental e assertividade.

Caso você prefira assistir ao vídeo, clique no vídeo logo abaixo.

Até o próximo post!

SOBRARE

SOBRARE

Sociedade Brasileira de Resiliência, compartilhando conhecimento em resiliência e trazendo recursos necessários para que pessoas e organizações superem suas adversidades.

Mais posts



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *