Uma aula sobre Resiliência como Competência Profissional


29/09/2016 | Publicado por SOBRARE | Sem Comentários


No decorrer das nossas vidas ganhamos maturidade para compreender que o desenvolvimento da resiliência como competência profissional é importante para nos fortalecer nos momentos de fortes mudanças.

Todos nós temos a certeza de que em algum momento passaremos por alguma turbulência causada por algum tipo de quebra do padrão ou por algo que é totalmente novo.

“As mudanças estão aí e sempre continuarão acontecendo.“

E como estamos nos preparando para enfrentar essas adversidades em nosso cotidiano de vida, principalmente no ambiente profissional?

Com os novos tempos tecnológicos, não é novidade dizer que temos uma nova lógica de percepção e aprendizado, podemos observar as crianças que já tem toda facilidade para mexer com os dedinhos na tela do celular ou tablete.

Ou seja, a lógica de aprendizado já é uma realidade diferente.

resiliência como competência

E provavelmente não é estranho para você, de que esse tipo de padrão já está presente dentro dos ambientes organizacionais, levando a um momento de incertezas dos profissionais, por sempre existir a necessidade latente de aprender uma atualização nova ou um sistema novo que vai MUDAR a maneira de efetuar alguma atividade, que muitas vezes nem será representativa ou até mesmo implementada.

E fica o desafio para que as pessoas dentro de uma organização, se posicionem de modo que possam utilizar os seus comportamentos resilientes e crenças bem desenvolvidas, para enfrentar todas essas mudanças, continuar sendo produtivo e manter um equilíbrio nos relacionamentos.

Nesse post vamos resumir os principais pontos apresentados durante a aula-online, apresentada pela professora Edna Bedani, sobre como podemos ter resiliência como competência profissional.

A professora Edna já desenvolveu trabalhos científicos com foco na resiliência dentro do contexto de Recursos Humanos e possui larga experiência nesse mercado.

Ela estará presente como preletora do 3º Congresso Brasileiro de Resiliência, no dia 12 de novembro de 2016 em São Paulo. Será uma grande oportunidade de você trocar informações com ela e outras pessoas que estão engajadas com o desenvolvimento desse tema.

A era do Amor Liquido

Com esse cenário colocado na introdução do texto, podemos enxergar que também estamos na era que chamamos de Amor Liquido, onde existe uma fragilidade dos vínculos das pessoas e existe um impacto nas relações amorosas muito forte.

Hoje a proximidade não exige mais a relação física, e a relação física não determina mais a proximidade. [Zugmunt Bauman]

Podemos observar que hoje, nós mandamos um e-mail para o nosso colega que está na mesa ao lado, ou dentro de casa mandamos uma mensagem para um familiar que está no outro cômodo. Isso não significa que você está distante dessa pessoa, ao mesmo tempo que você estando fisicamente ao lado de alguém não significa que você está próximo de alguém.

As relações humanas elas têm se tornado muito mecânicas em algumas relações e muito forte em outras. Por isso, precisamos identificar onde está a nossa capacidade de conviver com essa realidade virtual que está cada dia mais forte.

Portanto, nós precisamos identificar onde está nossa capacidade de conviver com essa nova realidade virtual, com esse mundo de mudanças e ter um significado em nossas vidas para todo esse processo.

Com essa consideração da fragilidade que as novas mudanças podem causar em nossas vidas, é necessário que dentro do ambiente de trabalho exista também atenção no olhar que temos para as reconfigurações que podem acontecer.

Observa-se que uma das competências necessárias para as pessoas dentro das organizações, primeiramente, é o autoconhecimento somado à habilidade de administrar as próprias emoções diante das adversidades existentes.

É evidente que estamos vivendo um momento de reconstrução, desconforto e podemos observar algumas situações desiquilibradas. Como por exemplo:

  • Pessoas infelizes sem desenvolver o seu potencial;
  • Equipes desintegradas e sem orientações;
  • Estratégias que não saem do papel;
  • Clientes que acabam insatisfeitos;
  • Parceiro ou sócios desconfiados.

São esses, alguns pontos que mostram como estamos vivenciando momentos de mudanças e reconfigurações dentro das organizações e que deixam as pessoas infelizes dentro desse contexto.

E logo vem o questionamento de o que nós precisamos ter como fator de proteção dentro dessa constante reconfiguração?

  • Novas respostas para velhos problemas;
  • Novas respostas para os novos problemas;
  • Novas respostas para problemas que ainda não conhecemos;
  • Quais são as respostas para o que precisamos construir?

Dentro dessa aula gravada, você poderá perceber o reforço na mensagem de que: Nós estamos vivendo em um momento onde a mudança é um fato, onde precisamos ter mais equilíbrio e cada dia buscamos mais respostas de como podemos desenvolver resiliência como competência para conviver com essa realidade.

Nesse momento, devemos voltar nosso olhar para os comportamentos resilientes, devemos entender que a resiliência é uma competência muito importante e que pode ser desenvolvida.

Agora pare por um momento e pergunte: Com esse olhar construído sobre a realidade de mudanças, quem você acredita que pode ser o seu maior concorrente ou desmotivador para ter a resiliência como competência?

VOCÊ mesmo!

O profissional que está inserido nessa realidade precisa desenvolver múltiplas habilidades, tanto de natureza comportamental quanto as habilidades técnicas que, ancoradas em valores e atitudes, lhe permitam lidar adequadamente com as inseguranças.

Você provavelmente já percebeu que muitos profissionais possuem as mesmas competências, mas o bom profissional é capaz de manter essas competências, mesmo em situações completamente novas e desconhecidas.

Existe então o grande desafio de passar por uma transformação individual, para que possa desenvolver as competências necessárias à realização de suas atividades de forma efetiva. Seja essas atividades dentro do ambiente de trabalho ou em outras situações.

Para exemplificar as características desse profissional, a professora Edna listou algumas competências e modelos de crenças que pode alavancar o desenvolvimento da sua resiliência dentro do ambiente de trabalho. Colocamos essa listagem dentro de uma representação gráfica para facilitar o seu olhar sobre todo o conteúdo.

Com esse material apresentado na aula, é importante você se indagar o quanto os seus comportamentos e competências estão lhe levando para um caminho de adaptação e superação para as novas mudanças e reorganização dos cenários. É preciso ter um olhar crítico sobre como temos colocado as nossas atitudes frente aos desafios que enfrentamos no cotidiano de vida e como podemos melhorar nossos comportamentos para novas realidades e problemas que chegarão.

Concluindo a mensagem transmitida nessa aula

No conteúdo que foi gravado nessa aula, você vai encontrar uma citação de uma pesquisa desenvolvida pelo Eduardo Carmello, onde foi evidenciado que 80% das pessoas quando tem de enfrentar uma nova adversidade, a sua eficácia diminui ou praticamente desaparece quando passam por situações que interpretam como imprevisíveis, adversa, turbulenta ou ameaçadoras.

Enquanto apenas 20% das pessoas conseguem ter a resiliência como competência e manter-se em ambientes de pressão utilizando suas características efetivas, comportamentais e cognitivas para enfrentar uma situação adversa, com sucesso.

Com isso podemos concluir que quando nós estamos preparados, quando nós temos autoconhecimento e conhecemos os nossos conjuntos de crenças para manter o equilíbrio entre eles, nós conseguimos ser mais resilientes diante das situações de pressão e dos momentos diferentes que não estamos acostumados.

Quando o profissional consegue aproveitar as situações adversa como uma possibilidade de aprendizado e desenvolvimento. Está preparado para lidar com as mudanças e, dessa forma, enfatizar o autodesenvolvimento e favorecer o crescimento organizacional.

Terminamos esse post com uma citação utilizada dentro da aula:

Entenda que um propósito de vida é muito maior do que a adversidade ou turbulência que você está passando.“

Vamos deixar a gravação dessa vídeo-aula logo abaixo para você ter a oportunidade de acompanhar e entender mais sobre resiliência como competência profissional. Aproveite o conhecimento que a professora Edna tem para compartilhar com você.

Não esqueça de deixar o seu comentário ou relato sobre esse conteúdo.

SOBRARE

SOBRARE

Sociedade Brasileira de Resiliência, compartilhando conhecimento em resiliência e trazendo recursos necessários para que pessoas e organizações superem suas adversidades.

Mais posts



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *