Comportamento resiliente: Aplicações e propósitos da escala Quest_Resiliência


23/03/2016 | Publicado por SOBRARE | 4 Comentários


Esse texto foi elaborado com o objetivo de reestruturar o post publicado em 2013 e atualizar as informações sobre a escala de resiliência desenvolvida pela SOBRARE.

 

O que realmente podemos esperar de uma escala que mensura comportamentos resilientes?

Resiliência é um tema que está muito aquecido no Brasil por vivenciar um momento de forte mudanças e instabilidades.

Em meio a essa crise, pesquisadores e líderes entram em uma busca constante de formas para elevar a autoconfiança e flexibilidade para encontrar alternativas de desenvolver recursos positivos nas pessoas que estão envolvidas em grandes desafios.

Já podemos encontrar muitos artigos e estudos sobre diferentes formas de promover comportamentos resilientes seja em cenários sociais, empresarias, educacionais ou políticos. Mas, como de fato, podemos ter clareza desses comportamentos resilientes e assim tomar decisões e ações de melhorias e desenvolvimento da resiliência em determinado grupo?

Continue lendo para saber mais sobre:

  • Porque é importante mapear os comportamentos resilientes
  • O que é a escala Quest_Resiliência
  • Quais são os padrões evidenciados com a escala
  • O que é possível desenvolver com os resultados obtidos

 

É importante evidenciar os comportamentos resilientes

Temos publicado um amplo conteúdo sobre o quanto é importante e beneficente promover o autoconhecimento e desenvolvimento para promover comportamentos resilientes.

Conteúdos esses, que mostram a capacidade de aglutinar competências positivas que uma pessoa pode desenvolver para melhorar a forma como lida com os desafios e as adversidades que envolvem elevados stress ou pressão. Por isso, a resiliência tem como base comportamentos flexíveis que permitem agir de modo maduro, face ao stress, para recuperar-se das cicatrizes ou impactos causados pelo enfrentamento de desafios.

Essa flexibilidade é construída por meio de um conjunto de crenças que possibilitam transcender os empecilhos da vida e prosperar um futuro positivo.

Essas crenças são criadas por meio de nossa história de vida, das relações de afeto, das pessoas significativas com quem convivemos no decorrer da vida. Aprofundamos mais nesse tema no post 3 motivos pelos quais você não desenvolve sua resiliência.

Quando essas crenças se tornam coerentes e adequadas, estamos capacitados para enfrentar as situações de adversidades e de stress elevado, com habilidade para visualizar, compreender e ter decisões que são apropriadas para superar tais adversidades que temos em diferentes momentos da vida.

A escala Quest_Resiliência

No Brasil, a escala de resiliência, validada inicialmente em 2006 por meio do projeto de Doutorado do professor George Barbosa, procurou garantir as condições para medir as competências relacionadas com a flexibilidade e resiliência. No entanto, como o seu ponto inicial era a tradução de uma escala de origem estrangeira, não podia atender com clareza a fidedignidade necessária para um instrumento dentro da cultura do Brasil.

Foi a partir dessa necessidade, que em 2009, mais pesquisas foram desdobradas para a elaboração de um instrumento de mensuração da resiliência de acordo com os traços da cultura brasileira. Também em 2009, o instrumento foi totalmente migrado para o universo online, quebrando as barreiras geográficas de acesso e usabilidade.

A escala tem como propósito mapear as crenças que organizam os comportamentos resilientes em uma pessoa, porém, esse mapeamento também pode ser analisado dentro de grupos ou equipes.

Quando é feito de modo individual, o instrumento identifica os estilos comportamentais desenvolvidos por uma pessoa e evidencia diferentes possibilidades de se estruturar um programa de treinamento e capacitação no campo da resiliência.

Quando o mapeamento é realizado em grupos ou equipes, a ferramenta possibilita amplo material de análise das interações, dos impactos e das correlações entre os diferentes estilos de comportamentos entre os membros do grupo, favorecendo a intervenção para o fortalecimento dos comportamentos de flexibilidade, proteção, maturidade e determinação no grupo ou equipe.

O objetivo da escala é avaliar a resiliência como um conjunto de várias competências e não apenas uma única habilidade, o que nos permite identificar com mais precisão quais são as fortalezas que um indivíduo deve desenvolver para que seus comportamentos resilientes aumentem ainda mais.

O referencial teórico do instrumento se estrutura na teoria da Terapia Cognitiva, Psicologia Positiva e a abordagem Psicossomática. Irá evidenciar a carga atribuída as crenças do respondente relacionadas com os comportamentos resilientes, avaliando 08 áreas da vida interligadas com a teoria da Abordagem Resiliente. Essas áreas expressam o quanto uma pessoa acredita e defende seus modelos de crença.

Como resultado, surgem padrões comportamentais no enfrentamento do stress, que podem ser identificados com comportamentos de acatar ou atacar de modo exacerbados as situações de adversidades e de elevado stress.

As 08 áreas da vida mapeadas na resiliência

AUTOCONTROLE

  • Controlar o comportamento de modo flexível
  • Controlar o temperamento
  • Controlar o impulso de agir

LEITURA CORPORAL

  • Solução para o desgaste do corpo
  • Identificar reações corporais no outro
  • Ter ciência das suas alterações corporais

ANÁLISE DE CONTEXTO

  • Interpretar o ambiente
  • Analisar as razões e motivos
  • Planejar soluções

OTIMISMO PARA VIDA

  • Convicção de contornar problemas
  • Olhar de modo positivo
  • Cultivar esperança

AUTOCONFIANÇA

  • Capacidade de dividir responsabilidades
  • Confiança para superação
  • Sentir-se seguro

CONQUISTAR E MANTER PESSOAS

  • Preservar amizades
  • Competência de manter relacionamentos
  • Preocupar-se com o outro

EMPATIA

  • Expressar-se de modo claro
  • Facilidade de conversar
  • Identificar o sentimento de outro

SENTIDO DE VIDA

  • Razão de viver
  • Avaliação de riscos
  • Significado e propósito para a vida

Desdobramento dos resultados obtidos

Competências positivas, de acordo com a literatura, se inter-relacionam gerando uma liga entre áreas primordiais da resiliência e podem ser medidas e treinadas a partir dos resultados da mensuração feita com o instrumento.

Com os resultados em mão, é possível que o pesquisador/gestor possa desenvolver um programa educacional, de modo simples por meio de uma palestra ou um treino prático e rápido para esclarecer e apontar as diretrizes com base nos resultados encontrados. Ou, é possível estruturar um treino consistente de longo prazo, para executar ações diferentes ao longo do tempo, visando alavancar as áreas evidenciadas com características de pouca resiliência.

O essencial é ressaltar que o treino ou programa educacional que for estruturado, deve ter um objetivo muito bem definido para ter a clareza de qual o resultado que se espera alcançar com a ação desenvolvida. E assim, medir os efeitos obtidos ao longo da capacitação.

Em nosso canal do Youtube, elaboramos um vídeo que responde 4 perguntas sobre resiliência e no final desse vídeo, exploramos mais sobre como trabalhar os resultados obtidos com o Quest_Resiliência.

Hoje para proporcionar o acesso ao instrumento, a escala é disponibilizada apenas para pesquisadores acadêmicos e aos profissionais que passam pela formação do Coaching em Resiliência. Entre em contato com nossa equipe para ter informações de como você pode ter acesso ao Quest_Resiliência

Gostou desse conteúdo? Temos muito mais aqui no blog.

SOBRARE

SOBRARE

Sociedade Brasileira de Resiliência, compartilhando conhecimento em resiliência e trazendo recursos necessários para que pessoas e organizações superem suas adversidades.

Mais posts



4 Comentários

  1. O Questionário de Resiliência da SOBRARE, na Abordagem Fenomenológica Existencial é significativo para o enfrentamento do stréss e das tensões psicossociais da vida moderna, e o recomendo para ser aplicado no ambiente de trabalho, nas Escolas e Universidades.

  2. Elaine disse:

    Como posso ser auxiliada pelos recursos do programa de resiliencia?
    Grata.
    Elaine

    1. SOBRARE SOBRARE disse:

      Prezada Elaine,
      Obrigado pelo contato. Para informações adicionais sobre o programa de resiliência e o Quest_Resiliência, solicitamos que entre em contato com faleconosco@sobrare.com.br.

  3. Olá!
    Muito interessante saber da existência desta ferramenta. Pelas abordagens que a sustentam tenho certeza de que deve ser uma excelente ferramenta.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *