A contribuição do Dr. Martin Seligman para o desenvolvimento acadêmico da resiliência


27/04/2016 | Publicado por SOBRARE | 1 Comentário


Atualmente, existem diversas definições sobre o que é resiliência e quais são as principais atitudes e comportamentos que nos levam a enfrentar situações de desafios com flexibilidade e resiliência.

Dentro desses aspectos que evidenciam os comportamentos resilientes, existem alguns autores que se destacam por sua contribuição nos estudos e publicações de diferentes teorias e metodologias que estão relacionadas com as características principais da resiliência.

Nesse post, você terá uma breve introdução sobre a contribuições que o Dr. Martin Seligman proporcionou para os estudos e definições da resiliência. Vamos abordar quais são as interligações entre a psicologia positiva e resiliência.

Uma breve apresentação do Dr. Martin Seligman

Seligman, foi aluno e assistente do Dr. Aaron Temkin Beck (organizador e propulsor da Terapia Cognitiva), durante 14 anos foi diretor do programa de formação clínica no departamento de psicologia na universidade da Pennsylvania e dedicou os seus projetos em estudar os aspectos da felicidade, com base nos ensinamentos que obteve com o Dr. Beck e dentro das terapias cognitivas.

Sempre foi latente em Seligman, o desejo de compreender como era possível interpretar o modo de ser feliz.

Seligman

Os resultados desse trabalho, gerou o desenvolvimento que hoje é conhecido por todos, a partir dos anos 90, como a psicologia positiva. Em seus estudos procurou focar na vivencia de emoções positivas como uma forma de enfrentamento do estresse ou de uma adversidade, e também trouxe para o campo de pesquisa qual é o papel que as virtudes humanas, como por exemplo a gratidão, podem atuar no encontro da felicidade?

Através de pesquisas, o grupo que acompanhou os estudos de Seligman, publicou uma lista de 24 virtudes que se destacam muito por estarem mais presentes entre nós, nos momentos de enfrentamento do estresse sem manter o foco na doença ou na adversidade.

Ou seja, como podemos focar e ter a superação da adversidade, a partir da felicidade e não com o enfoque na patologia?

Um outro aspecto que podemos ressaltar sobre os estudos de Seligman é de como os relacionamentos ricos e significativos, podem nos ajudar a superar a adversidade e ganhar maior resiliência. Por tanto, esse é um pesquisador que proporciona um farto material para estudar resiliência.

24 Forças e Virtudes Descritas por Seligman

Dr. Martin Seligman junto ao seu parceiro de estudos Dr. Christofer Peterson, levaram três anos pesquisando assuntos relacionado a felicidade e superação. Eles se empenharam em elucidar e catalogar “o que vai bem com as pessoas”, suas forças psicológicas e seus “pontos fortes”.

As suas pesquisas foram realizadas em diferentes culturas ao redor do mundo e os pesquisadores concluíram que as forças e virtudes do caráter humano, são mais universais do que eles esperavam.  O resultado foi uma lista com 24 forças pessoais.

A lista de forças pessoais não é fixa ou padronizada, está sempre passando por mudanças quando novas evidências são encontradas. Vamos listar aqui no blog 24 forças que foram relacionadas durante os estudos:

A Lista:
1 – Criatividade
2 – Ser Descobridor
3 – Mente Aberta
4 – Amor ao aprendizado
5 – Perspectiva
6 – Coragem, Bravura
7 – Perseverança
8 – Integridade
9 – Entusiasmo
10 – Amor
11 – Generosidade
12 – Empatia
13 – Cidadania
14 – Igualdade
15 – Liderança
16 – Perdão
17 – Humildade
18 – Prudência
19 – Autocontrole
20 – Regozijo
21 – Gratidão
22 – Otimismo
23 – Humor
24 – Espiritualidade

Principais contribuições do Dr. Martin Seligman (Psicologia Positiva) para estudar e desenvolver resiliência.

Resiliência é um tema de saúde e não deve ser tratado como um Modelo biomédico (foco nas fragilidades ou em doenças).

Esse é um modelo muito usado nas ciências que estudam a saúde com o olhar para o Modelo Biomédico, e não pense que é um modelo desenvolvido apenas por pesquisadores da medicina, mas há também um grande número de psicólogos, enfermeiros e até educadores que caminham nessa linha de trabalho.

É importante destacar que o Modelo Biomédico tem um eixo que direciona toda a metodologia de pesquisa e o seu desenvolvimento é focado no que está sendo evidenciado como patologia, e quando é feito um projeto de estudo nessa vertente é evidente a busca por detalhamento e características da doença ao longo do estudo.

Dr. Martin Seligman

Ressaltamos que é muito importante ter cuidado para não focar na ou fazer uma argumentação teórica de resiliência a partir da revisões e literaturas que se fundamenta em modelos Biomédicos. Pois esse tipo de modelo costuma traçar suas ações e suas análises buscando compreender, estudar e discorrer sobre como funciona a doença, a patologia e não como se dá a saúde, o bem-estar e fortaleza na pessoa.

Em resiliência, o nosso foco é nas potencialidades que a pessoa tem e não nos campos da patologia, resiliência não é um assunto que está inserido dentro do universo da doença, é um tema que está relacionado ao universo da saúde e por tanto ele precisa se correlacionar com outros temas de saúde, autorealização, fortalezas emocionais e outras virtudes.

Qualquer assunto relacionado com a saúde e psicologia positiva é fácil de correlacionar com a resiliência, já o inverso não é.

Para finalizar esse post, e elevar o seu conhecimento sobre aspectos da psicologia positiva, vamos deixar um vídeo da palestra que o Dr. Martin Seligman, realizou no TED, falando sobre o que a psicologia moderna pode fazer por nós, quando ultrapassa o foco da doença?

Deixe seu comentário logo abaixo da sua percepção sobre as contribuições que psicologia positiva proporciona para a resiliência.

SOBRARE

SOBRARE

Sociedade Brasileira de Resiliência, compartilhando conhecimento em resiliência e trazendo recursos necessários para que pessoas e organizações superem suas adversidades.

Mais posts



1 Comentário

  1. Raphael disse:

    Muito bom! Martin é uma ótima pessoa!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *