Exemplo de vida: Como a resiliência pode ser um fator importante na superação


04/04/2016 | Publicado por SOBRARE | Sem Comentários


Hoje o dia foi melhor que ontem, as lágrimas trouxeram mais energias. Por isso, amanhã o dia será ainda melhor”
– Danilo Prado

Resiliência e superação! Se você se interessa por esse tema, já deve ter percebido que essas duas palavras estão sempre caminhando juntas. É muito comum lermos artigos que falam sobre resiliência e a importância de desenvolvermos essa capacidade. Aqui em nosso blog mesmo, você pode encontrar vários textos que abordam esse tema.

Mas a questão é: De que modo podemos utilizar a resiliência como fator importante na superação?

Existem diversas histórias de superação que estão presentes em nossas vidas. Seja de um amigo, uma figura famosa ou até mesmo personagens de um filme. Não importa, estamos constantemente nos deparando com histórias de superação.

Essas histórias nos mostram que qualquer um de nós pode desenvolver essa capacidade de superar as adversidades que a vida nos impõe. Não é porque a história é Hollywoodiana que não podemos desenvolver essa habilidade, o que nos impulsiona a ter tal atitude é a vontade de superar.

E é essa vontade de superar que vamos conversar com você no post hoje, logo abaixo!

O Templo dos Guerreiros – Exemplo de resiliência e superação

Há uns dois ou três anos atrás, nós recebemos aqui na SOBRARE um pacote que continha um livro. Junto havia uma carta solicitando gentilmente que lêssemos a história, pois estava relacionada a resiliência.

Foi então que conhecemos o Danilo Vilela Prado, autor do livro “O Templo dos Guerreiros”. Após finalizar a leitura, não havia dúvidas. Tínhamos que mostrar a história do Danilo para os nossos seguidores, foi quando convidamos ele para participar como palestrante da 1º Semana Master de Resiliência, evento promovido pela SOBRARE.

Danilo recebeu o diagnóstico de um câncer linfático, denominado linfoma não Hodgkin, de grandes células difusas B. De início, foi uma notícia devastadora que afetou a ele e sua família. O caos e o desespero se instalaram em sua vida e causou uma completa desorganização mental. Danilo descreve em seu livro que toda a situação se transformou em um quadro “desolador”.

resiliência e superação

A intenção desse post não é ficar falando sobre os aspectos negativos que a doença trouxe para a vida do Danilo, pois vocês já devem imaginar!

O que temos que observar nessa história foi a maneira como Danilo lidou com a situação. Ao invés de se submeter a doença, ele buscou formas de aproveitar a sua vida para lidar de maneira otimista com todo o contexto.

Em seu livro, Danilo conta que aceitar o tratamento foi imprescindível para seguir em frente. Não teve receio de assumir que havia o problema e acreditou que a solução existia. Ele explica que sua grande dificuldade foi encontrar coragem para olhar para frente e enfrentar o monstro que estava afligindo a sua vida.

Nessa fase, conquistar e manter pessoas foi crucial a ele. Encontrou grande apoio e ajuda em seus amigos e parentes. Pessoas sadias próximas possuíam melhores condições de o aconselharem, acalmarem e organizarem as questões relacionadas a doença, e ainda, dar a ele o apoio psicológico necessário.

A biopsia era uma situação de alto risco, pois o tumor estava muito próximo ao pulmão e qualquer descuido durante o procedimento poderia resultar em uma perfuração do órgão. No momento da cirurgia, Danilo começou a pensar em seu sentido de vida, em qual era a sua missão na vida. Perguntas como “Estou preparado para o pior? Se isso acontecer, será que cumpri minha missão? Tenho algum arrependimento que não pode ser reparado?” começaram a surgir.

Diante dessas reflexões, teve a convicção de que, se tudo ocorresse bem na cirurgia, ele teria que retornar com uma postura otimista para começar a enfrentar todo o tratamento que iria vir pela frente. Afinal, ele tinha uma missão a cumprir em sua vida.

Após receber alta do hospital, ele imediatamente voltou a trabalhar. Essa foi a estratégia que encontrou para ocupar a sua mente com algo que lhe trazia satisfação e assim, não dar a oportunidade de produzir pensamento negativos constantemente.

Ao receber os resultados da biopsia, Danilo desenvolveu algo que ele chama de otimismo realista. Ou seja, aquele estado de espírito que espera pelo melhor, mas ciente de que existem situações que nos escapam do controle. O câncer naquele momento era algo que havia fugido de seu controle.

O tratamento foi iniciado e como estratégia para acumular forças, ele começou a fazer anotações sobre os pontos positivos que ele descobria a cada pequeno acontecimento, em cada detalhe que ocorria e que até mesmo parecia desprezível. Essa observação aguçada fez com que ele pudesse enxergar oportunidades de melhorar a sua vida.

resiliência e superação

Durante as oito sessões de quimioterapia, percebeu que o tratamento estava sendo muito mais agressivo do que ele havia imaginado. Ainda assim, buscou forças para continuar a trabalhar, mesmo que com esforço adicional devido a fadiga e fraqueza, já que a rotina de trabalho trazia confiança de que ele era capaz de continuar.

Porém, na sexta sessão da quimio, ele teve a primeiro decepção. Descobriu que apenas 40% do câncer havia recuado. Por ele ter criado um otimismo extremado, acreditou que já nessa fase o câncer estaria praticamente eliminado, porém não foi isso que aconteceu e o sentimento de fracasso o apossou.

O que precisou ser feito foi equilibrar o otimismo. Calibrar com um pouco de pessimismo para conseguir avaliar melhor a situação e não se iludir. A autoconfiança foi recuperada!

Terminada a quimioterapia, ainda restava 20% do câncer a ser combatido. Então, era preciso iniciar 20 sessões de radioterapia. Como ele já havia percorrido um grande caminho, a essa altura sua resiliência já estava muito fortalecida. A radioterapia foi como um último degrau que precisava ser escalado.

Em dezembro de 2009, o médico comunicou ao Danilo que ele havia vencido todo o câncer, que havia destruído um câncer letal e recuperado a sua vida. Ao sair da clínica, a palavra que primeiro veio a sua mente foi: LIBERTAÇÃO.

Banner-Jornada---Blog

Essa história ocorreu em 2009 e naquela época o Danilo Prado ainda nem conhecia a SOBRARE, porém sem saber ele já aplicava em sua vida os aspectos da resiliência que temos como fundamentais para a superação.

Assim como o Danilo, todos nós somos capazes de desenvolver resiliência e superar momentos de adversidades em qualquer contexto. Somos capazes de atingirmos algo maior, basta termos a vontade de encararmos os nossos monstros.

Obs.: Esse post foi baseado no livro O Templo dos Guerreiros, autor Danilo Vilela Prado, Editora Livre Expressão, 2013. Se você tiver interesse em adquirir o livro, entre em contato com o Danilo pelo e-mail danilovprado@gmail.com ou pelo link http://goo.gl/QK3s2w.

 

Imagens: Freepick

SOBRARE

SOBRARE

Sociedade Brasileira de Resiliência, compartilhando conhecimento em resiliência e trazendo recursos necessários para que pessoas e organizações superem suas adversidades.

Mais posts



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *