Empoderamento da resiliência no empreendedor


23/05/2016 | Publicado por SOBRARE | Sem Comentários


Quando falamos em empreendedor logo pensamos na figura de alguém que tem visão de futuro, inspirado, corajoso, que tem a vontade de realizar algo próprio. Isso é verdade, mas nem só de coisas boas vivem os empreendedores. O fato de arriscar-se para ter o próprio negócio traz incertezas e riscos, e por vezes, fracassos e erros.

O que podemos perceber é que a maioria dos empreendedores podem desenvolver uma mesma característica: mesmo após o fracasso, é preciso se reerguer, analisar o ocorrido e encontrar novas estratégias. Por isso, desenvolver resiliência no empreendedor se faz tão importante.

Como dito anteriormente, um negócio empreendedor envolve uma série de riscos. Quando ainda em fase de planejamento, é possível prever cada passo do plano de ação, as entradas e saídas do fluxo de caixa, análises de fatores que podem interferir no negócio, os papéis que cada sócio irá executar (quando o negócio tiver mais de um sócio). Mas sabemos que, quando o negócio sai do papel e entra para o mundo real, nem tudo sai como foi planejado.

E é nesse momento que o empreendedor precisa saber administrar a sua resiliência.

O termo resiliência no contexto do trabalho nas organizações refere-se à existência – ou à construção – de recursos adaptativos, de forma a preservar a relação saudável entre o ser humano e seu trabalho em um ambiente em transformação, permeado por inúmeras formas de rupturas. (BARLACH, L; LIMONGI-FRANÇA & MALVEZZI, 2008, p.104).

Porém, você deve estar se perguntando: Quais são as características que são essenciais ao empreendedor para desenvolver resiliência? Vamos citar algumas delas aqui para você:

  • Capacidade de detectar precisamente os fatores de risco e proteção que envolvem o seu negócio;
  • Capacidade de identificar as causas dos problemas que ocorrem na gestão do negócio;
  • Autocontrole na tomada de decisão;
  • Acreditar em si e na proposta de negócio;
  • Ter clareza do propósito do negócio;
  • Aceitar e entender as mudanças que irão ocorrer; e
  • Trazer para perto pessoas que, de alguma forma, possam criar maior sustentação para a gestão do negócio.

Claro que existem tantas outras características que são essenciais, essas são apenas algumas para você entender melhor como é possível desenvolver resiliência no empreendedor. O importante é saber desenvolver características positivas que estão ligadas à gestão e riscos do negócio.

Podemos considerar que, quando desenvolvemos o comportamento resiliente no contexto do empreendedorismo, conseguimos desenvolver então a avaliação do risco individual, quais são os estressores e seus impactos no negócio, quais são as estratégias que podem ser desenvolvidas para superar os estressores e as suas capacidades de recuperação.

Apesar do indivíduo que está empreendendo tenha diversas dessas características positivas no que se refere ao enfrentamento das adversidades no campo dos negócios, algumas podem não ser desenvolvidas quando em situações de estresse e extrema pressão.

resiliência no empreendedor

Empoderamento da resiliência no empreendedor

Ok, você já entendeu um pouco sobre a aplicabilidade da resiliência no contexto do empreendedorismo. Agora precisamos entender como empoderar a resiliência no empreendedor.

Encontrar paixão e propósito

Um dos principais fatores para se ter sucesso ao empreender é investir em um negócio com o qual você se identifique e tenha afinidade. Muitas pessoas querem começar a empreender porque viram que tal negócio deu certo, porém não tem a menor afinidade com a gestão e paixão pelo dia a dia que envolve o empreendimento.

Nesse ponto é preciso ter bem definido quais são os conhecimentos e as experiências que estão relacionados especificamente como o negócio a ser desenvolvido. Qual a afinidade com o produto ou serviço a ser oferecido no mercado? Você tem amor e prazer pelo que está fazendo?

Fazer o alinhamento do negócio

Outra questão é saber identificar os principais pontos fortes e fracos do negócio e do empreendedor. João Marcos Varella, especialista em resiliência e empreendedorismo, destaca que “nem tudo o que envolve empreender está sujeito ao risco. O que está na área de conforto do empreendedor e no campo de excelência da empresa está fora da vulnerabilidade. Portanto é preciso distinguir essas áreas de conforto e excelência das áreas de vulnerabilidade”.

Quando conseguimos ter a clareza e a distinção das áreas de excelência e vulnerabilidade, temos maior capacidade de analisar como investir tempo, dinheiro e conhecimento para melhorar ou resolver tais questões.

Ebook – Comportamento resiliente nas organizações

Encontrar pessoas

Outro ponto muito importante é ter pessoas com habilidades e conhecimentos específicos próximos a você. No empreendedorismo, muitas adversidades estão fora do controle do empreendedor por surgirem de fatores externos como crise econômica ou mudanças no mercado. Sendo assim, ter pessoas com diferentes conhecimentos e habilidades podem ajudar a desenvolver uma visão do que pode ser feito para proteger e preservar o negócio.

Esse tipo de relação pode ser desenvolvido com empresas como SEBRAE, ou consultores que trabalham exclusivamente com empreendedores, mentores que tenham vasta experiência no mercado, ou até mesmo amigos e parentes que tenham um amplo conhecimento profissional.

Participar de feiras e congressos também é uma ótima oportunidade obter conhecimentos sobre como gerir melhor o negócio. Nessas oportunidades, diversos empreendedores, com diferentes problemas e diferentes soluções, compartilham suas experiências e formas de lidar com as atividades que estão presentes no dia a dia do empreendedor.

Aqui na SOBRARE, por exemplo, temos o Congresso Brasileiro de Resiliência, que nesse estará em sua terceira edição e abordará os temas Desafios do desenvolvimento pessoal por meio da resiliência e Foco no negócio – Estratégias em resiliência que fortalecem a sua gestão. Essa é uma excelente oportunidade para desenvolver sua resiliência e um negócio resiliente.

Além do ponto destacado acima, ainda existe um outro fator muito importante para trazer pessoas próximas ao negócio. João M. Varella destaca “as pessoas às vezes dão partida em um negócio onde todas as atividades dependem dela: a relação com o mercado, a atividade operacional, a gestão, tudo depende dela. Na medida em que o negócio vai crescendo ela não tem mais condição de resolver tudo dentro da empresa, ela tem que delegar, tem que encontrar pessoas e o crescimento só será possível, na medida em que essas atividades vão deixando a mão do dono. Isso é um ponto critico.”

Para finalizar, é importante ressaltar que a resiliência não se trata de um escudo protetor que irá livrar o empreendedor de qualquer tipo de problema, assim como seu negócio. Muito pelo contrário, a resiliência irá trazer a possibilidade de flexibilidade interna, trazer a capacidade de se modificar de forma adaptativa em face aos confrontos que irão surgindo ao longo do desenvolvimento do negócio, aprendendo a lidar assim com as circunstâncias adversas do ambiente.

E lembre-se, resiliência é um exercício diário que precisamos aprender a desenvolver!

SOBRARE

SOBRARE

Sociedade Brasileira de Resiliência, compartilhando conhecimento em resiliência e trazendo recursos necessários para que pessoas e organizações superem suas adversidades.

Mais posts



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *