Como usar a resiliência para ter comportamentos resilientes, flexíveis e criativos?

Provavelmente você já deve ter visto esse post aqui no blog sobre comportamentos resilientes, flexíveis e criativos. No entanto, como ele foi publicado em 2013, resolvemos dar uma atualizada em seu conteúdo.

Falar sobre o desenvolvimento da resiliência é apaixonante para nós da SOBRARE. E nossa rotina diária tem sempre o objetivo de mostrar para os nossos leitores sobre como desenvolver comportamentos resilientes, a flexibilidade e ter ações criativas para a superação das adversidades.

Como já dito anteriormente em diversos outros posts que publicamos aqui no blog, algumas pessoas tiveram a oportunidade de aprender ao longo de suas vidas como desenvolver competências e habilidades que favoreçam o fortalecimento e amadurecimento, tanto no âmbito pessoal quanto profissional, para lidar com as experiências adversas que causam impactos.

Porém, existem pessoas que não desenvolveram essas competência e habilidades ao longo da vida e precisam aprender hoje como desenvolvê-las para conquistar um viver saudável e com qualidade.

Como ter comportamentos resilientes, flexíveis e criativos? - Vector Negócio desenhado por Freepik

Quando passamos por um situação adversa que coloca em risco a nossa sobrevivência, precisamos desenvolver resiliência. Essas experiências adversas impactantes causam consequências e que geram sintomas com efeitos:

  • Emocionais que desenvolvem irritabilidade, ansiedade, dificuldades em dormir, depressão, hipocondria, sentimentos de alienação, burnout e consequentemente causam dificuldades nas relações familiares, profissionais e sociais.
  • Cognitivos que podem incluir dificuldade de concentração e evocação da informação, o que pode tornar mais difícil a aquisição de novas informações ou a tomada de decisões.
  • Comportamentais que provocam dependência do álcool e tabaco, uma dieta alimentar pobre, falta de exercício (por exemplo, devido ao cansaço), autossabotagem e outros comportamentos destrutivos.
  • Fisiológicos que geram problemas múscularess/esqueléticos, em particular, dores nas costas, dor de cabeça, fibromialgia, imunidade enfraquecida e problemas digestivos e cardiovasculares.

E como lidar de modo adequado e equilibrado com as experiências adversas e sofrer menor impacto dos efeitos e consequências dessas experiências?

 

Como ter comportamentos resilientes, flexíveis e criativos?

A resiliência emerge como um novo instrumento científico adotado pelas Ciências Humanas, para descrever pessoas que aprenderam ao longo de suas vidas a adaptar-se positivamente, com flexibilidade e com criatividade, e que consequentemente favorecem comportamentos adequados para lidar com as experiências adversas impactantes, saindo dessas experiências fortalecidas e amadurecidas.

E o que fazer se não houve ao longo da vida condições favoráveis para aprender condutas adequadas para lidar com as experiências adversas, e assim adaptar-se positivamente com comportamentos flexíveis e criativos?

A aprendizagem pode ocorrer a qualquer momento, desde que haja a predisposição para tal. Como a resiliência se desenvolve através de um processo de aprendizagem, ela pode ser aprendida e desenvolvida em qualquer momento da fase de desenvolvimento das pessoas.

O que é preciso fazer é começar a trabalhar com as crenças que carregamos dentro de nós. Quando conseguimos desenvolver a percepção do significado dessas crenças e o modo como elas nos afeta, conseguimos desenvolver novas estratégias e caminhos para alterar determinados pensamentos que podem estar nos impedindo de termos comportamentos resilientes, flexíveis e criativos.

É preciso desenvolver um processo de aprendizagem. Esse processo favorece adquirir habilidades que capacitam e fortalecem as pessoas no desenvolvimento de condutas adequadas (chamadas de condutas resilientes) no enfrentamento das experiências adversas impactantes, que muitas vezes geram angústia, sofrimento extremo, paralisam, enfraquecem e que consomem as energias, impossibilitando que as pessoas possam realizar seus alvos e objetivos pessoais e profissionais.

Uma atitude que ajuda a construir condutas resilientes é atribuir novos significados as crenças, analisar e identificar quais são os comportamentos ou pensamentos que geram estresse ou impedem e muitas vezes inviabilizam a construção de comportamentos flexíveis e criativos.

Garantir uma “limpeza” no passado e em crenças limitantes ajudam a ganhar consciência de quaisquer questões que ainda podem estar tendo impacto em sua vida nesse momento. Aqui no blog tem uma post que traz um vídeo sobre essa questão de como lidar com a limpeza de nossa mente e a reestruturação de crenças limitantes, vale a pena dar um conferida!

Ao ter conhecimento profundo de si, é possível estabelecer novos e melhores objetivos e passos para a vida. Isso nos traz o desenvolvimento de novas competências e habilidades, nos ajuda no crescimento e traz motivação para a realização de grandes coisas.

Aprender a lidar adequadamente com as experiências adversas impactantes através de condutas resilientes favorece: descobrir onde estão suas forças e virtudes, diminuir os efeitos e consequências do estresse causado por essas experiências, alcançar bem-estar, amadurecer, elevada autoestima, desempenho e sucesso.

Se ainda não foi possível aprender a lidar com as experiências adversas com comportamentos adequados, não se esqueça: “Sempre é tempo de aprender a desenvolver competências e habilidades para expressar condutas resilientes na vida pessoal e profissional!!”

Paula Assis Autor
Coach em Resiliência – Pessoal & Profissional e Coordenadora de Marketing na Sociedade Brasileira de Resiliência. Apaixonada pelo tema da resiliência e pela comunicação entre marcas e pessoas!
2018-04-16T17:49:15+00:00

7 Comments

  1. Dani 15 de junho de 2013 at 16:49 - Reply

    Qual o caminho para desenvolver esse aprendizado? Poderia indicar uma boa literatura?

    • SOBRARE 17 de junho de 2013 at 13:18 - Reply

      Olá Dani. Obrigado pelo seu comentário!
      Em nosso site há uma área dedicada a publicações (artigos, teses, matérias etc) que abordam a temática da resiliência.
      Sugerimos que dê uma pesquisada neste acervo.
      Att.,
      Sobrare

  2. Evandro Freitas 1 de junho de 2016 at 09:35 - Reply

    Wow, como a resiliência é importante! Existe até uma Associação Brasileira de Resiliência. Vou visitar seu site para descobrir o que estou perdendo.

  3. Marilene Gomes 25 de julho de 2016 at 22:02 - Reply

    Maravilhosos os artigos! Muito obrigada!

  4. Miguel 5 de Fevereiro de 2018 at 09:16 - Reply

    Vejo que a resiliência ocorre quando se diz um basta par a uma situação e começa se de alguma forma a romper paradigmas e a se criar outros…
    Percebo que dois caminhos s ao viáveis e complementares .. o de dentro pra fora.. quando se cria coragem para se encarar e mudar se, e ai mesmo tempo criando novas valores de vida……. e o de fora para dentro.. quando vai se aos poucos criando outras rotinas e disciplinas….
    A percepção de que a vida, nos coloca diariamente com situações muito invasivas, se faz necessária para que criemos um espaço individual (um dojo) , para que começamos dentro de nossas características. Lembrando que este espaço não é um esconderijo criado por egos… Trata se de um individualização do ser.
    Grato pelo espaço..

    • SOBRARE 7 de Fevereiro de 2018 at 17:46 - Reply

      Olá Miguel!
      Agradecemos o seu comentário e pela contribuição do seu ponto de vista com relação a publicação.
      Esperamos ter mais comentários seus em nossos conteúdos.
      Att.,
      Equipe SOBRARE

  5. IRISMAR TAVARES DA SILVA 12 de Março de 2018 at 01:30 - Reply

    Achei fantástico o e-book.
    Obrigada!

Leave A Comment