Como Fazer uma Análise do Ambiente e saber o Momento de ter Ações Resilientes


23/03/2017 | Publicado por SOBRARE | Sem Comentários


Imagina que a chefia de sua empresa solicita que você vá a um evento participar como a pessoa que está representando a empresa.

Ao chegar no local, você percebe que não conhece ninguém e de início se sente deslocado e começa a sentir uma forte tensão. Como você age diante dessa situação de estresse? Pense um pouco…

Você é uma pessoa que analisa o que ocorre dentro daquele ambiente? Percebe quais são as pistas que o ambiente te dá sobre a melhor forma de se posicionar? Percebe quais são os sinais presentes no ambiente para começar a se envolver com os outros participantes? E mais, quais são as evidências de que a postura a ser assumida é a mais adequada?

análise do ambiente

Pois é, em alguns momentos não conseguimos ter todas essas análises para estar bem posicionado em um ambiente que nos traz estresse.

Essa forma de administrar as nossas percepções e crenças com relação a análise do contexto/ambiente pode impactar diretamente na forma como nos posicionamos quando estamos diante de um problema, conflito ou forte tensão.

Então, o post de hoje irá buscar esclarecer alguns pontos com relação a análise do contexto que desenvolvemos ao longo da vida e também como essa área se relaciona com a resiliência.

Continue lendo esse post, para saber mais sobre:
– O que é Análise do Contexto?
– Como a análise do contexto é apresentada dentro da resiliência
– Os 3 tipos de comportamentos da análise do contexto

O que é análise do contexto?

Quando procuramos os termos “análise do contexto”, “análise do ambiente” ou “interpretação do ambiente” no Google, os principais resultados que aparecem estão relacionados a análise de SWOT.

De um modo geral, essa análise do ambiente consiste em ter conhecimento sobre as oportunidades, ameaças, forças e fraquezas de uma pessoa ou organização.

Para se construir uma análise de SWOT é preciso ter uma boa interpretação da atual situação da pessoa ou organização e entender profundamente o que ocorre no ambiente externo e interno para alcançar melhorias em um futuro a curto e longo prazo.

Porém, a SWOT traz uma visão geral da situação. Ela não está focada em analisar um contexto específico ou um evento pontual. E é essa a diferença entre a análise do ambiente dita na SWOT e a análise do ambiente que fazemos quando estamos falando de resiliência.

Vamos entender melhor?

Análise do contexto e resiliência

A análise do ambiente dentro do contexto da resiliência reúne crenças que analisam o ambiente que o indivíduo está inserido. É a habilidade que desenvolvemos em identificar e perceber de modo mais certeiro as causas que ocorrem no contexto, as relações e implicações dos desafios, problemas, conflitos e adversidades.

Quando diante das adversidades, a análise do ambiente ajuda a organizar o quantum de ousadia é necessária ser aplicada nas decisões a serem tomadas. As crenças ligadas a análise do contexto, representam o quanto de meticulosidade, flexibilidade ou cuidado a pessoa deve investir ao examinar os eventos que se tornam tensos e adversos e que impactam diretamente na tomada de decisão.

Mas não é fácil encontrar um olhar adequado para analisar o ambiente. Muitas vezes a pessoa pode agir com excesso de análise ou com a falta de análise. Ambos os comportamentos são prejudiciais e nos atrapalham nos momentos em que temos que estruturar uma estratégias diante de uma situação de estresse.

Então, quais são os tipos de comportamentos que podemos ter na análise do ambiente? Vamos apresentar esses três comportamentos que existem dentro na análise do contexto relacionada a resiliência.

OBCDJO0

Os 3 tipos de comportamentos da Análise do Contexto

Com relação a análise do ambiente, quando desenvolvemos comportamentos com intolerância diante de uma situação de estresse, é comum que se tenha um comportamento excessivo de meticulosidade se apegando aos mínimos detalhes. A pessoa se torna hiperfocada e desconfiada ao examinar os fatos e informações do ambiente, além de ter comportamentos de inflexibilidade.

Já quando a pessoa se comporta com passividade diante do estresse na área do análise do contexto, ela tende a desenvolver comportamentos de alienação emocional tendo grande dificuldade de perceber o que está ocorrendo no ambiente, tendo muita dificuldade de efetuar o exame de problemas e tomar decisões acertadas quanto à natureza e solução dos conflitos.

Por último estão os comportamentos de equilíbrio nessa área da resiliência. Quando desenvolvemos equilíbrio ao analisar o contexto, a tendência é analisar com sabedoria as situações presentes no ambiente e estabelecer julgamentos adequados, sendo inovador (a) em suas propostas, ao invés de simplesmente ater-se a rotinas e regras.

Agora que você já sabe quais são os três tipos de comportamentos que podemos ter diante da análise do contexto, poderá estruturar melhor o modo como avalia as causas que ocorrem ao observar o ambiente, as relações e implicações dos desafios, problemas, conflitos e adversidades.

Para finalizar, deixe seu comentário e nos conte qual a sua percepção sobre o seu modo de agir com relação a analisar o contexto diante do estresse.

Se você acredita que esse post pode ajudar outras pessoas, compartilhe nas suas redes sociais:
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Google+
Compartilhar no LinkedIn

Até uma próxima!

Fonte e Imagens:
Relatórios Quest_Resiliência (SOBRARE)
Freepik

Banner-Jornada---Blog
SOBRARE

SOBRARE

Sociedade Brasileira de Resiliência, compartilhando conhecimento em resiliência e trazendo recursos necessários para que pessoas e organizações superem suas adversidades.

Mais posts



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *