4 práticas que favorecem a resiliência no trabalho


18/04/2016 | Publicado por SOBRARE | Sem Comentários


Na semana passada nós enviamos um e-mail para aqueles que acompanham o nosso trabalho com a seguinte pergunta “Qual situação de estresse e desequilíbrio você vivencia em seu ambiente de trabalho e acredita que a resiliência pode ajudar a superar com equilíbrio?”.

Recebemos dezenas de respostas, muitas delas contando casos e situações que ocorreram no trabalho e que de alguma forma acabaram por desestruturar o ambiente.

Diante dessas respostas, outra pergunta nos ocorreu:

Como orientar uma pessoa na situação de elevada e forte tensão que gera insegurança, quando temos o enfoque da resiliência?

Ok, já sabemos que resiliência é a habilidade de superar os obstáculos da vida. Mas quais são esses obstáculos? A que tipo de obstáculos a resiliência se refere?

Aqui devemos entender que obstáculos estão ligados a sobrevivência. Pensando no ambiente de trabalho, por exemplo, o obstáculo pode ser quando um profissional, por questão de sobrevivência, precisa se manter em um determinado emprego.

Outro exemplo é quando a separação do casal coloca a saúde emocional do profissional em perigo, e consequentemente o seu desempenho no trabalho. Ou quando uma demissão chega em um período em que o profissional está desestruturado e nada preparado para tal situação.

Os obstáculos que a resiliência se refere ultrapassam os limites daquele estresse diário que vivenciamos no ambiente de trabalho. Questões rotineiras não dependem de resiliência, e sim de coping.

Porém, se uma determinada situação implica diretamente em nossa sobrevivência, nós precisamos desenvolver resiliência.

Como podemos desenvolvê-la? Nós acreditamos que existem 4 práticas que são essenciais para o incremento da resiliência no ambiente de trabalho.

1#) Ressignificação das crenças

Essa primeira prática serve para enfrentar situações de desestruturação emocional e comportamental. A partir do momento em que ocorre a reestruturação das crenças que bloqueiam a superação, nós começamos a desenvolver resiliência. Precisamos transformar tais crenças limitantes em crenças que despertam e impulsionam os recursos internos pessoais.

Aqui temos que nos atentar que ressignificar as crenças para adaptar-se a uma situação não pode ser assumir o papel de conformismo. No ambiente de trabalho, temos que ter o cuidado de analisar as situações e ter atitudes que nos transformam internamente de forma que nos tornamos capazes de encontrar soluções criativas para o enfrentamento do estresse.

Dessa forma, conseguimos transformar uma situação que está em crise em oportunidade. Quando uma equipe trabalha unida em busca de superação, essa passa a encarar a realidade de forma adequada.

7_150

2#) Disciplina diária

Como dito em outro post aqui no blog, o desenvolvimento da resiliência depende de uma disciplina diária de autoconhecimento. Essa prática ajuda a manter uma adequada resiliência. Quando nós mantemos o hábito de nos avaliarmos diariamente, em geral, obtemos melhores resultados em nosso desempenho.

Essa prática é importante porque não somos resilientes em todos os momentos. Em determinadas situações de sobrevivência conseguimos desenvolver bem a nossa resiliência, porém em outras não. Justamente por termos essa variação de comportamentos, praticar diariamente o autoconhecimento nos ajuda a enxergar o modo como nos comportamentos diante das situações.

Essa análise própria faz com que percebamos em quais aspectos precisamos nos aprimorar. No ambiente de trabalho, isso é fundamental, pois estamos constantemente lidando com situações que demandam a nossa capacidade de agir com equilíbrio e com maturidade emocional.

3#) Talento vira habilidade

Muito se discutiu se as pessoas que desenvolvem resiliência são invulneráveis por possuírem talentos excepcionais.

Estudiosos, após diversas discussões, nos mostram que a chave não é ser talentoso para ser invulnerável, mas se tornar uma pessoa vulnerável com habilidades nas áreas da vida que estão ligadas a resiliência.

Autores como Yunes, afirmam que não devemos confundir resiliência com invulnerabilidade. Quando o estresse forte acontece, o indivíduo é impactado podendo até mesmo sofrer impactos físicos e emocionais, porém a forma como lida com a situação o ajuda a superar, e sair fortalecido.

As pessoas que enriquecem a sua resiliência desenvolvem um recursos interno que é de ter flexibilidade diante da adversidade. Ao criar essa flexibilidade, nós buscamos criar caminhos de sucesso, de aprendizado e de adaptação.

meeting_01

4#) Prática deliberada

A conduta que se guia por essa prática, pode ser descrita como: “abraçar o assunto” para se alcançar algo ou alguma coisa com a deliberada intenção de obter conhecimento e experiência.

No ambiente de trabalho, quando uma pessoa ou uma equipe tem essa prática deliberada, a mesma se torna empoderada para alcançar seus objetivos.

Quando “abraçamos o assunto” começamos a desenvolver a nossa capacidade de interpretação. Essa interpretação faz com que tenhamos o cuidado de analisar minuciosamente a situação que estamos enfrentando.

Também nos traz o cuidado de enxergar os diversos caminhos que podem ser percorridos para a resolução de tal assunto. “Abraçar o assunto” nos obriga a adquirirmos um maior conhecimento, que acaba impactando em nossa experiência e em nossas decisões.

Além dessas 4 práticas, existem outras que podem nos ajudar a nos tornarmos protagonista durante um processo de elevado estresse dentro do ambiente de trabalho:

  • Visualize o futuro próximo e antecipe os acontecimentos
  • Procure abraçar o assunto e conhecer a verdadeira dimensão da situação
  • Aprenda a enxergar e criar soluções
  • Cultive um ambiente de criatividade e inovação
  • Valorize os seus relacionamentos com os colegas de trabalho e liderança
  • Faça algo que traga sentido de vida

Em resumo, se pode dizer que essas práticas descritas alimentam e renovam o surgimento de crenças favoráveis e não limitantes para o desenvolvimento da resiliência nas oito áreas fundamentais da vida.

São esses os conceitos que a Sociedade Brasileira de Resiliência (SOBRARE) ensina para desenvolver resiliência. São práticas que têm por objetivo gerar impacto em áreas primordiais da vida do líder ou do colaborador, repercutindo na organização como um todo.

Esperamos que tais práticas colaborem para o seu desenvolvimento também. Até a próxima!

Imagens: Projetado pelo Freepik

SOBRARE

SOBRARE

Sociedade Brasileira de Resiliência, compartilhando conhecimento em resiliência e trazendo recursos necessários para que pessoas e organizações superem suas adversidades.

Mais posts



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *